Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.


30
Out14

                                                   

                                         Mário Soares, fotografia tirada da net

 

Num Novembro como este que agora se inicia, ficaste com um crédito ilimitado. Por muito que aqui te tenha criticado, neste e noutros blogues serás paixão até ao fim. Um herói do mar. A propósito: alguém sabe o que é feito dos "Heróis do Mar"? 

 

Canto-te então: Paixão Heróis do Mar "Jurei ser eu o teu luar /Brilhar só eu no teu olhar/Paixão, paixão não vais fugir de mim/Serás paixão até ao fim/Paixão, paixão não vais fugir de mim/Serás paixão até ao fim/Oh por favor vá lá sorri/Dou-te esta flor um beijo a ti/Paixão, paixão não vais fugir de mim/Serás paixão até ao fim/Paixão, paixão não vais fugir de mim/Serás paixão até ao fim/Paixão, paixão não vais fugir de mim/Serás paixão até ao fim".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

PRESS RELEASE

 

Aqui vão os temas e nomes do FALEMOS dos OUTROS. Vão ser uns belos Serões na Cidade que tem o Museu mais filosófico de Portugal. É tudo por conta da casa, "Hora" Eça!

A Casa-Museu Medeiros e Almeida acolhe uma iniciativa da bloguista Fátima Pinheiro: CONHAQUE-PHILOhttps://www.facebook.com/pa…/Conhaque-Philo/520931661373616… . Durante 7 sessões semanais, à 3º feira, FALEMOS dos OUTROS.

Esta iniciativa pretende ser apenas uma conversa, com tema pré definido, mas informal, provocadora e desafiante entre quem desafia e todos os que quiserem assistir e ser desafiados, todas as 3ªs à noite entre 4 de Novembro e 16 de Dezembro, com os temas que abaixo se indicam. A moderação é feita pela bloguista – que é filósofa – e, no primeiro e no último encontro, em conjunto com a jornalista Ângela Silva.

 

4 Nov – FALEMOS dos OUTROS - Eduardo Lourenço e Sofia Areal
11 Nov – A gestão do amor - António Pinto Leite e Isabel Salvado Alves
18 Nov – O que pode a literatura - Maria do Rosário Lupi Bello e Paula Mendes Coelho
25 Nov – As curvas do mundo - Francisco Seixas da Costa e Jaime Nogueira Pinto
2 Dez – E a leste? - José Milhazes e Henrique Monteiro
9 Dez – O que “faz” a beleza – José Mouga e Luísa Pinto Leite
16 Dez – O que é “selecionar”- Fernando Santos e…

 

A Sala do Lago da Casa-Museu vai-se transformar num espaço descontraído, onde cada um poderá acompanhar e participar nesta iniciativa sentado a uma mesa enquanto bebe um café, bebe um vinho... ou mesmo um conhaque.

 

A colecção de 250 relógios de António Medeiros e Almeida introduz-nos logo no tempo, tema central das filosofias. O que andamos aqui e agora a fazer? O filósofo com todas as letras não anda de cabeça nas nuvens. Tales de Mileto, um dos pré-socráticos, era um homem de ciência e de grande sentido práctico. Assim também este empresário, que nos deixou esta casa onde morou e que a encheu de uma beleza extraordinária. A urgência dos negócios não o fez abdicar da Arte nem das suas razões. Haverá muitas razões, é certo. Mas terão uns melhores razões que outros? E quem é o árbitro? Cabe a cada um decidir quem tem razões "melhores"? Mas com que base? Cabe a cada um esse trabalho "crítico”. Mas como? A Filosofia ajuda porque o seu principal trabalho é fazer as distinções essenciais. 

 

Em sete encontros, que são uma espécie de “serões na cidade”, estarão de cada vez uma ou duas pessoas “especiais”, de diferentes talentos e obras, a quem perguntaremos o que quisermos. Este projecto caiu-me ao colo e lá estarei a moderar, e principalmente a aprender. É um mergulho no meu “eu” (e num dos mais belos “lagos” que já vi). A Filosofia não é um corte com a vida, mas uma forma de a enriquecer. É cara alegre, porque in vino veritas, conhaque é conhaque, e a filosofia muito “ociosa”. Se for bom, em Janeiro haverá mais se Deus quiser.

 

TODAS AS 3ªs FEIRAS entre as 21.30 e as 23.30 – Sala do Lago

ENTRADA LIVRE
CASA-MUSEU MEDEIROS E ALMEIDA
(entrada pela Rua Mouzinho da Silveira, nº 6 Lisboa)
Facebook: https://www.facebook.com/casa.museu.medeiros.e.almeida
Website: www.www.casa-museumedeirosealmeida.pt

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

28
Out14

Eu não me levo muito a sério

por Fátima Pinheiro

 

 

   SergioCerchi/imagem do quadro tirada da net

 

Agustina Bessa- Luis, é a melhor de todas. António Lobo Antunes, o melhor. Olho hoje para ela, que há pouco fez anos. São poucos os que se aventuram nos seus voos metafísicos que, por o serem verdadeiramente, têm os pés bem assentes na terra. Cada página sua é um número incontável de diamantes que exigem lapidação. Desafia-me neste instante. Simples. Mas dá trabalho, ascese. A vida fala sempre mais forte. Por isso, não me levo muito a sério. Agora é que percebi : "Eu não me levo muito a sério. É a melhor maneira de viver. Aquele que se leva a sério está sempre numa situação de inferioridade perante a vida." (Agustina Bessa- Luis)

Autoria e outros dados (tags, etc)

                                 Sergio Cerchi/imagem da net

 

Li ontem o artigo de Frei Bento Domingues, onde o colunista se centra nas razões que o levam a já não acreditar no Papa Francisco. E nisso refere em abundância o recente Sínodo. Está aqui:

 

http://www.publico.pt/mundo/noticia/eu-ja-nao-acredito-no-papa-francisco-1674128

 

Ambos pertençemos à mesma Igreja. Tenho também a minha ideia do Papa Francisco. Tenho as minhas razões, que continuam ainda mais acesas depois de ter acompanhado, na medida do possível, este recente e extraordinário encontro dos "nossos" bispos que, como disse o Papa, estão neste "trabalho" para servirem a Igreja, e não para serem donos da Igreja  "Mãe e Mestra" (Encíclica do Papa João XXIII sobre a evolução da Questão Social à luz da Doutrina Cristã).

 

Pareceu-me que a beatificação de Paulo VI, incomodou Frei Bento Domingues. Tinha de ter acontecido longo ontem! Foi como se isso viesse a atrasar aggiornamentos. Mas para não me desviar agora no caminho, deixo o que penso deste Papa Francisco, aqui: 

 

http://youtu.be/RhfNYlQrHGk

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

http://www.publico.pt/mundo/noticia/eu-ja-nao-acredito-no-papa-francisco-1674128

Autoria e outros dados (tags, etc)

26
Out14

    imagem/net

 

Afronta é ter memória curta, meta isto na sua cabeça, minha senhora, se é que a tem. Vem isto a propósito desta opinião de Isabel Moreira : http://expresso.sapo.pt/meta-isto-na-sua-cabecinha-senhor-deputado=f895221  

 

Mas como escreve bem..., a ilustre democrata,...lembra-me um Engenheiro técnico que tinha um look Armani que ainda hoje aparece banhado em oiro, e de outro, seu familiar, que dizia "é a vida" e se baralhava com o PIB.

 

Podia alongar-me, mas não vale a pena. Gosto de afrontas, mas hoje é dia de descanso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

26
Out14

                                            imagem da net

 

 

"MORRER DE AMOR" / http://youtu.be/E2VCwBzGdPM

Maria Teresa Horta

in Destino, 1997.

 

«Morrer de amor
ao pé da tua boca

Desfalecer
à pele
do sorriso

Sufocar
de prazer
com o teu corpo

Trocar tudo por ti
se for preciso.»

Autoria e outros dados (tags, etc)

25
Out14

Oeiras tem agora mais encanto

por Fátima Pinheiro

                                                     uma das obras da exposição

 

Só visto. Uma coisa é ver uma "imagem ou fotografia de", outra é estar diante da imponência da arte. Não tenho palavras, a não ser estas: Um MUST. No rescaldo de uma semana agitada faço Copy paste daqui: http://www.cm-oeiras.pt/noticias/Paginas/ExposicaodeSofiaArealemOeiras.aspx

 

"O Centro Cultural Palácio do Egipto apresenta a exposição “7 Virtudes Vitais” de Sofia Areal” de 25 de Outubro de 2014 a 18 de Janeiro de 2015. Nesta exposição são apresentados ao público cerca de 40 trabalhos recentes em diversos suportes: madeira, tela e papel, repartidos por várias séries (...) As 7 Virtudes Vitais são, segundo Sofia Areal, intenção, firmeza, movimento, equilíbrio, cor, ritmo e transparência. Citando a própria artista: “(…) nesta exposição inicio um novo ciclo em que mais do que nunca quero insistir nestas virtudes que ao longo de 35 anos de trabalho vejo, cada vez mais, como sendo urgentes e necessárias na arte e na vida” (…) “Nestes trabalhos reafirmo e renovo o meu vocabulário e essas virtudes.”

 

Uma exposição de Sofia Areal em que nos será revelado de forma como sempre intensa, um novo fôlego, um novo ciclo. Dia 8 de Novembro será realizada uma visita guiada por Sofia Areal. No dia 10 de Janeiro teremos uma conversa com Sofia Areal e a Jornalista Ana Sousa Dias, autora do texto de apresentação do catálogo da exposição. Horário da exposição: De 3a  Feira a Domingo das 12h00 às 18h00. Fechado aos feriados.

 

Sofia Areal é uma das mais importantes pintoras da sua geração. Nascida em Lisboa, em 1960, inicia formação em Inglaterra, com os cursos de Textile Design e o Foundation Course, do Hertsfordshire College of Art and Design, em St. Albans, (1979-81). Regressa a Portugal, estuda nos ateliers de Gravura e Pintura do Ar.Co., em Lisboa. Expõe colectivamente desde 1982 e individualmente desde 1990. Além da pintura e do desenho, desenvolve também a sua investigação plástica nas áreas da ilustração, design gráfico e cenografia. Em 2011, apresenta na Galeria do Torreão Nascente da Cordoaria Nacional em Lisboa, com produção dos Artistas Unidos, uma exposição antológica dos últimos dez anos de trabalho. A mesma acompanhada por um livro com os mesmo tópico, publicado pela editora Babel e tendo textos de, entre outros, Jorge Silva Melo e o Professor Luís Campos e Cunha. Em 2012 ilustra a Colóquio Letras, edição publicada pela Fundação Calouste Gulbenkian e ganha o Prémio Fémina para as Artes Visuais. Em 2013 lança um livro (publicações ISPA) juntamente com o Professor Emérito de Harvard, Allan Hobson – “Criatividade”.

 

O Palácio do Egito, está localizado no centro histórico da vila de Oeiras, a nascente da Igreja Matriz, a sua construção remonta ao séc. XVIII, tendo sido, o edifício mais importante e nobre, até à edificação do Palácio do Marquês. Foi mandado construir pela família Rebello de Andrade e estava, então, integrado na Quinta de Recreio Nossa Senhora do Egito. Nos finais do Séc. XIX, pertencia ao Dr. Zeferino Pinto Coelho, cujos herdeiros, nos anos 20 do séc. passado, venderam o edificado e a quinta ao Sr. Álvaro António dos Santos.
Por decisão dos herdeiros de Álvaro António dos Santos, em 1980, o Palácio foi vendido à CMO, fazendo desde então parte do espólio e património municipal. Desde essa data, foram diversas, as entidades que o ocuparam e utilizaram, sendo contudo de destacar a sede da Associação Desportiva de Oeiras (ADO). Em 2005 a Autarquia, chamou a si a responsabilidade da sua reabilitação, tendo-se aí instalado em 2009, o atual Centro Cultural Palácio do Egito, que integra uma sala de exposições temporárias, a livraria municipal e o Posto de Turismo de Oeiras."

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

  Julia Roberts: ela sim, faz parar o trânsito 

 

Ontem, IC 19, kilómetro 5, 8h e 45, direcção Sintra Lisboa. No meu carro levava uma amiga e os seus filhos pequenos. O meu carro bate no carro da frente. E mais uma vez confirmo que ser mulher faz toda a diferença. Estamos bem, graças a Deus.  Sem carro, tudo bem. E a pancada física e moral não deixa de ser uma mais valia. Quanto ao homem já não sei. A responsabilidade é dele e por isso não assinei a declaração amigável. Porque não somos amigos, não passamos a sê-lo, e porque ninguém merece ser mal tratado por ninguém. Resolvi ir para tribunal, não só por mim, mas também pelas pessoas que podem apanhar pessoas como este homem de mercedes prateado, calções de licra, ténis, blusa de cavas, e cheio de pressa.

 

O clássico, que conto em 5 linhas. Ia sossegada na minha faixa, à velocidade amansada pelo pára arranca da hora de ponta e nas abertas não me pus em grandes velocidades. Olho para a faixa da esquerda e vejo um homem, que falava comigo dizendo coisas como (imagino, porque não se ouvia nada), vá lá, anda mais depressa, sua isto, sua aquilo....Estava zangado, violento, e gesticulava  muito. Eu continuei na minha. Só que de repente vejo o mercedes a fazer uma manobra perigosa. Avançou numa manobra rápida na faixa dele, fazendo uma espécie de "S". Para ir colar a traseira dele ao meu "regina" (é o nome do meu carro). Mesmo assim travei a evitar o pior. Não evitei o embate,  é certo. E o carro ficou avariado, não anda. Graças a Deus sou de reações rápidas. 

 

Mas valerá a pena meter-me em tribunais? Eu sei que tenho uma boa testemunha, mas do que me vale se quem bate por trás tem a culpa? Há casos excepcionais, eu sei. Mas se calhar desisto da acção. Tenho a minha casa para cuidar. Não posso ficar nem mais um minuto com você, é que o irá acontecer. Pena esta falta de cidadania. Hoje decido se vale a pena. E tenho a certeza - pelas palavras infelizes  que trocamos - que este senhor Alfredo não teria feito o que fez se eu fosse um homem.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

21
Out14

O que é que queres mais de mim?

por Fátima Pinheiro

   "por aqui" (imagem tirada da net)

 

Perguntaste-me outro dia onde era Portugal. Disse-te que não sabia. Tu ficaste admirado. Sem saber o que dizia, eu menti naquela hora. Disse-te que não sabia, mas vou-te dizer agora. E não te direi com olhos doces "Vem por aqui". É para ires com o teu próprio passo.

 

Ando sempre de lanterna à procura. Neste caso: Portugal procura-se. Encontro então um vírus no Ministério da Educação, Ciência & Superior (não nasci ontem). Por causa deste “ébola” choram guitarras – viram ontem no “Prós e Contras”, as histórias bizarras? Almas vencidas? Noites perdidas? Por aí, sim, tem passado o meu País.

 

Amor ciúme, cinzas e lume, dor e pecado? Sim. Ao que os media me querem reduzir! As agendas, o politicamente correcto, as urgências, quem me paga o Jornal (viram aquele artigo do último "Sol", sobre o ainda Presidente da Câmara de Lisboa? Desisto desse "meio de comunicação"; melhor, foi ele que desistiu de mim, e não perde "nada" com isso, devo dizer). Querem reduzir-me a temas de fasquia cada vez mais minguante, isto é, desinteressante para um comum, saudável, mortal. A cor de António Costa, as lutas intestinais e religiosas, de sempre, como as de Pedro e Paulo. Os pecados de Salgados, de Lima, de Cruz. O recorrente caso da menina inglesa que “apaixonou” Algarve e Mundo, e que vende sempre. Tão bem como CR7 Mário Soares, José Sócrates, o Europeu 2016, Isaltino, Jardim, Bolo Rei, Mourinho, o Papa Francisco, e qualquer bom par de pernas, qual rampa de lançamento para o infinito. Ai, é verdade, e pedofilia; e se for no seio da Igreja ainda vende mais. Nas hierarquias então!

 

O que é que queres mais de mim? Correrá, nas minhas veias, sangue velho dos avós? Amarei eu o que é fácil! Sabes que não?!!! Eu quero Lua Cheia. Ou um Costa de remos (na fotografia que passou em todo o lado, e que só pode ser uma montagem, não se viam os remos), para este país "menino e moço" sempre novo. Tenha a cor que tiver.Tenho esperança. De olhos bem abertos, percorro a paisagem. Dá para perceber quem faz o quê. São esses que ajudam e interessam. E todos devem entrar. A fazer os TPC. Dizer mal do Governo, e cada semana por uma razão "nova"?

 

Já viram o que os miúdos dos nossos liceus fazem quando estão colocados todos professores? Eu sei. O “horário” deles está completo e fazem tudo menos estudar. E nas aulas estão noutra (eu já fui professora durante muitos anos).  Estou a generalizar, claro, mas a malta – nós – seremos ceguetas? Cinismo não, por favor. O que é que queres mais de mim?Já me bati em duelos, tomei de assalto castelos, por caminhos paralelos. Onde fica Portugal, até ao fim?

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/3



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D


Links

imagens rasantes