Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rasante

Rasante

5 propósitos para o novo ano

 

 

WIN_20160510_21_42_21_Pro.jpg

 

1. Agir cada dia com a consciência  que este pode ser o meu último dia. Tenho verificado que olhar assim as circunstâncias, em vez de me encher do pessimismo da indiferença, ou do  "vale tudo", pelo contrário maximiza o potencial de cada gesto meu, aumentando a qualidade das relações. E porque  de facto posso estar  a viver o meu último dia. "Cada dia tem o seu afã", mas sem stresses, porque "Roma e Pavia" não se fizeram num dia, embora  grão a grão encha a galinha o papo - isto para dizer que desistir jamais.

2. Ter consciência que um dia não são dias, que cada dia existe cheio de minutos e horas que desafiam as minhas decisões. Ou deixo andar ou faço acontecer. "Protagonista ou nada". Fazer acontecer pode ser a-guardar ou então virar página, não importa. Mas o propósito é decidir, escolher, e não me alienar na decisão alheia, ou ir  adiando. Como reza o ditado "não deixes para amanhã o que podes fazer hoje". O tempo não é para perder. E há tempo que baste e há tempo para tudo.

3. Rechear-me da cultura daqueles que viveram antes, e dos que vivem no meu presente, daqueles em quem reconheço a autoridade de quem  vive uma vida "em primeira mão". Ninguém inventa a  roda,  mas antes, cada um roda de forma diferente. A novidade e inovação de cada um é incompatível com o seguidismo, com a carneirada. Como diz  o povo, embora o diga para o corpo, para combater a  gripe, "aninha-te e abifa-te". A alma anda muitas vezes engripada, pelo que precisa dos remédios culturais,  da nossa cultura e das culturas  dos  outros , onde se inclui o senso comum dos costumes , o dos saberes e das artes, e o da sabedoria popular.

4. As pesssoas são uma surpresa, por isso vou passar a "parar, escutar e olhar", como se fosse a primeira vez. Todos e principalmente quem já conheço. Tenho por vezes verificado que afinal "não era assim", que tinha interpretado mal. É, no fundo, saber dar prioridade. E experimentar a  alegria que é a de ir lavando os pre-conceitos, sem os quais não se avança. Porque enganos  e tristezas não pagam dívidas, sigo em frente com a história que Deus me deu, dá e dará. E corto a direito. 

5. Não fazer acepção de pessoas porque todas fomos pó e seremos pó,  embora cada credo, religião ou filosofia de vida encare a vida de formas diferente, isto é, sabendo que teoricamente cada pessoa pode forjar a sua propria religião e uma certa,  ou menos certa, sua visão  das coisas  Mas não fazer delas  das pessoas, de cada um, degraus para chegar seja onde for. As pessoas, eu incluída, somos lugar de incondicional e inestimável valor. Sabem porquê , claro. Como nada acontece à toa, não será sem razões que escrevo estas linhas na vigília Pascal, mãe de todas as vigílias, como alguém notou, há muitos séculos, já o mundo era uma criança...