Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rasante

Rasante

"Amanhã é o dia dos ladrões"

 Johny Depp

imagem tirada da net

 

Queres? Então corre e apanha. A vida é simples e não parece. Complexa sim, e às vezes muito. Mas isso é outra coisa. Muitas vezes não sabemos é o que queremos. Como diz o poema, o objetivo esfuma-se.

 

Vem isto a propósito de um post no meu face book, com uns poemas de Edmond Jabès, que eu desconhecia por completo.

 

Perguntei quem era: "O Egito produziu um grande poeta de expressão francesa: Edmond Jabès. Nascido no Cairo em 1912, teve de deixar seu país no início da II Guerra, por causa de suas origens judaicas. Com a crise do Suez em 1956, radicou-se na França no ano seguinte e em 1967 tornou-se cidadão francês. Faleceu em Paris em 1991. É considerado um dos grandes poetas de língua francesa." Um dos poemas encontra-se na obra "A obscura Palavra do Deserto" (trad. Pedro Tamen) (ed. Cotovia).

 

A leitura do poema fez-me experimentar como o adiar é uma morte que rouba o dia de hoje.

 

"Não se constrói sobre a pedra côncava. (Ainda menos sobre a neve dos picos?)

As recordações vêm aumentar o seu poder sobre o homem à medida que o objectivo se esfuma.
(Muralhas de sempiternas manifestações de força. Basta a obstinação de uma lágrima, basta um nada de ar decidido para que o ferimento seja mortal.)
Amanhã é o dia dos ladrões.
Dos nossos múltiplos rostos, o único persiste; rochedo onde se apoia a fadiga do mar."