Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rasante

Rasante

Canalhas há muitos, seu palerma!

 

canalha.jpg

(fotografia da net, e a despropósito; foi de uma coisa que eu vi em tempos e lembrei-me, por causa do tema "Da canalhice em geral, e de José Sócrates em particular")

 

O tema "Da  canalhice em geral, e de José Sócrates em particular"  é de uma atualidade que lhe vem dos primórdios da História. Canalhice? Comportamento característico de canalha; canalhada; que não tem caráter; dito ou ação de quem é canalha. E não podia estar mais implicado na Justiça com A. Isto para eventualmente concluir que a canalhice parece avançar, ao passo que o ter carácter é um fait divers, longe do tromp d'oeil que ilude e vai marcando pontos. Uma espécie de negação do sábio provérbio "os atos ficam com quem os pratica". Que mãos farão a justiça?

 

Foi com José Sócrates que aprendi a palavra "canalhice", a propósito de um caso em que ele estaria envolvido, facto que negou, que não conhecia a empresa que fazia "tais movimentos": E disse: “Isso é uma campanha de canalhice…eu não conheço ninguém…”; "querem agora arranjar um socialista qualquer...". Fiquei então a saber que Sócrates é "um socialista qualquer". Nunca é tarde! É a banalidade; já me estava a esquecer da sua paixão pela colega Arendt (que não é de filosofia, mas de filosofia política; ai estas "rendas" filosóficas de quem se esquece que tudo está interligado! ou do Maritain que distingue sim, mas para unir).

“Canalhice”? Não conhecia o termo. Canalha sim, conheço. Pensei: deve ser uma adaptação do francês, "nuances" que lhe ficaram da Sorbonne.
Mas a palavra existe, pronto. Os canalhas também. Nisto, nada como uns aninhos em Paris para aprofundar regras de método, de Descartes, por exemplo; sobretudo a de evitar juízos precipitados. São eles que muitas vezes levam ao erro. E caminhar no sentido da clareza e da evidência, as quais são adquiridas em intuições e deduções, os principais atos do espírito.

Canalhice? Campanha dela contra quem já foi considerado entre nós (ou seria isto para Manuel Maria Carrilho? Preciso mais café) o “Armani da Covilhã”? “Mais non, quel dommage”! Eu prefiro chamar mesmo canalha a quem o é. Será isto campanha – caseira, a minha – de canalhice? Que seja. O bom senso está bem distribuído, com ou sem o homem de um "Discurso do Método."