Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.


21
Dez17

Catolicismo nu e pornográfico.

por Fátima Pinheiro

 

 

WIN_20161105_11_44_56_Pro.jpg

 Catedral de Nôtre Dame, Paris, tm Rasante

 

Ler. Livros de natal e os que sairam agora. O livro "Testemunhas de um  facto", do Pe João Seabra, põe a nu o cristianismo. É mesmo pornográfico. Ou seja,  fala do que lhe aconteceu no "encontro com Cristo". "Neste título vibra o âmago do Cristianismo, a sua irredutibilidade como Acontecimento central da História da Humanidade. Tudo o mais que se refere à vida cristã, valores, gestos solidários, moral, doutrina, brota do Facto, esse Facto acontecido há dois mil anos que celebramos em cada tempo de Natal e de que somos Testemunhas". (Tenacitas 2017). 

Um livro que não se põe de cócoras diante dos considerados bons costumes, os  que consideram  o  natal um tempo assim  fofinho, etéreo, tipo ONU, valores e votos de ano novo. Novo?

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Sem imagem de perfil

De pitosga a 23.12.2017 às 18:40

Fiquei satisfeito por a sua entrada de comentários ser 'aberta' o que, no fundo, será sempre um convite a conversar, à lealdade.
Foi o livro do Pe João Seabra (Directo ao Assunto) que me fez aprender muito sobre cistianismo. Pranto aqui uma nota de uma das suas homílias.

Transcrição integral de parte de uma homilia como Prior da Igreja de Santos o Velho em 8 de Julho de 2001. In Directo ao Assunto
«A seara é grande mas os trabalhadores são poucos»
(...)
O único critério é Deus chamar.
As vocações que Deus manda são as mais variadas e estranhas. É um truísmo dizer que não sei porque é que o Senhor me chamou a mim, mas é verdade. Nunca me recuperei completamente da perplexidade de Ele me ter escolhido a mim. Se eu fizesse o retrato robô das qualidade e dos defeitos que achava adequados para preencher esta função, claramente eu não cabia na minha própria descrição de função — mas eu também não fui fazer testes psicotécnicos para ver se tinha jeito para padre, não foi assim. O chamamento que Deus me fez não revestiu a característica de uma configuração de habilitação, de uma consideração de aptidão para a tarefa. E, também por isso, uma vez que não era por essa razão que Ele me chamava, o facto de não me considerar particularmente apto para ela nunca teve a minha objecção.
E basta olhar para o grupo dos apóstolos para ver que as pessoas não podem ser mais diferentes. Alguns são bonzinhos, como Natanael, Jesus diz: «Um israelita de quem não há mancha, de quem não há dolo». Outros são maus, como Judas. Uns são intelectuais, como João, e outros são de letras gordas, como São Pedro — São Pedro, em todo o Novo Testamento, a única coisa que escreveu, para além de ter ditado umas cartas, foi duas linhas no fim da primeira carta e em que deu um erro de grego; era pouco mais que analfabeto. Uns são pacíficos e mansos, outros violentos. Uns são prontos a acreditar, como João, outros duvidosos e cheios de objecções, como Tomé. Uns são homens de espada desembainhada, revolucionários, como Simão Zelota, outros são homens do aparelho, colaboracionistas, cobradores de impostos, como Mateus. Uns são adolescentes, mal saídos da infância, como Marcos, e outros velhos relhos, como Nicodemos.
Basta olhar para o grupo dos apóstolos para vermos que não há um perfil da função, que não há um conjunto de qualidades humanas, ou intelectuais, ou espirituais, que definam o perfil daqueles que Deus chama. O único critério é Deus chamar, não há mais nenhum. Jesus chama os que Ele entende e permanece sempre, ao longo da história, uma coisa misteriosa a razão porque Ele chama. (...)

Um Homem notável.
PS: Tem estado doente. Oremos pela sua cura.

eduardo oliveira
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 23.12.2017 às 23:45

obrigada pelo seu comentário. E esse livro ensina mesmo.
Vamos continuar a rezar por ele😊
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 24.12.2017 às 00:04

"O único critério é Deus chamar, não há mais nenhum. Jesus chama os que Ele entende e permanece sempre, ao longo da história, uma coisa misteriosa a razão porque Ele chama. (...)"
Sem imagem de perfil

De pitosga a 25.12.2017 às 00:04

«Testemunhas de um facto» é aquele livro bem no estilo de João Seabra.
Uma colectânea de homilías, agora na Igreja da Encarnação, ao Chiado.

A primeira metade do livro é didactica. Só como ele sabe... para chamar a atenção para os factos 'que nos passam ao lado'.
Amiga minha trouxe-me hoje o livro. Verti muitas lágrimas (de consolo, de orfandade, de saudade).
Continuo e rezar por ele. Acredito que a Deus não se pedem 'coisinhas'. Eu tenho-Lhe pedido a cura do Padre João Seabra.

oliveira

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D


Links

imagens rasantes