Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rasante

Rasante

Mijinhas ou evidências segundas.

original.jpg

 

imagem tirada da net

 

É o esplendor nos relvados! Hoje é o dia mundial das redes sociais. Que fiche! Olho o dia , oiço as notícias, os gémeos de Ronaldo, as barrigas de transição (não é agradável dizer barrigas de aluguer, até parece que pagamos por uma barriga), mais a barriga de Georgina, maravilha! Uma espécie de "paradoxo da tangência" (que adoro, no Canal Q). Nada se censura ao menino de diamante! Mais o SIRESP, as cinzas da catástrofe com um Costa impune e um presidente que não gosta de abrir frentes, um Passos a agir como não deveria (mentira, Passos não engana...),  a telenovela de Pinho (coitado do homem!), mais grupos de trabalho, a maravilha que são os êxtases das autárquicas,  os movimentos em torno do peido de Sobral (basta ter ouvido para se perceber que não é assim como pintam), enfim tudo às mijinhas. 

Porque não uma política de longo alcance? É tudo mais simples do que parece. Fabrice Hadjadj, que dirige o Instituto Europeu de Estudos Antropológicos Philanthropos de Friburgo, considera que a actualidade teria a ganhar se recordasse as evidências primeras: "que a mulher é mulher e o homem é homem; que o matrimónio é entre um homem e uma mulher; que as vacas não são carnívoras; que o natural não é uma construção convencional; que o ser não é o nada”.

1 comentário

Comentar post