Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.


14
Mai17

Ninguém manda no meu coração!

por Fátima Pinheiro

Há quem pareça ter nascido sem coração. Os ditadores, os que nascem com doenças que afectam capacidades de consciência, o que os torna opacos a nós (não falam, não se mexem, olham para sei lá o quê). No caso dos ditadores, são livres, percebo. No segundo caso, e outros semelhantes, estamos diante de realidades insondáveis que escapam à nossa pequena/grande inteligência, ao nosso poder de entender. Ficamos com pena e pensamos : "devia morrer ou nem ter nascido". Mas também vejo pessoas sem esse tipo de deformação, que só sabem fazer mal aos outros! Também não deviam ter nascido?

Já vi de tudo. Muitos homens e mulheres com coração. Com base nessa experiência é possivel viver. O que tem muito que se lhe diga. Tenho presente neste post as coisas que andaram na boca do mundo neste fim de semana.

Não basta viver, é preciso  viver bem, diz um provérbio russo. Tudo é relativo, dizem-me ao ouvido. Mas a verdade é que ninguém manda no meu coração. Como não mandaram nos corações da Jacinta e  do Francisco. Nem Deus, nem Nossa Senhora, nem as autoridades, Igreja e Governantes. Foram eles que quiseram dar o coração.

Uma vida sem coração é uma  vida insuportável. Quem o põe numa gaveta procura substitutos.  Não é a mesma coisa. Cantava ontem o Salvador Sobral :  " Se o teu coração  não quiser sofrer".  Não que eu seja masoquista, ninguém gosta de sofrer. Mas o sofrimento é um facto polivalente.

Resumindo e concluindo. Sei por experiência  que há sofrimentos aos quais podemos dar resposta e acabar com eles. Sem "mas", "ses", nem "senãos". Desatados uns nós, desatam-se outos. É como um novelo. Há casos mais complexos. Mas quem pressente este gosto de vida nova, é porque a realidade está cheia de promessas. Arregaça as mangas recusando ser uma avestruz anódina, incompetente e descartável. Recusando uma vida que compra a vida de inocentes para prolongar, inutilmente a sua. Não se pode adiar viveres e morreres. Só temos o dia de hoje...

 

Os corações não se compram, não se forçam nem gostam das gavetas. São como pássaros de altos voos, que sabem que sem amor nada vale. Não são  as tempestades que impedem de voar. Antes pelo contrário, com elas se ganham asas para voar mais baixo, mais rente. E sobra sempre.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D


Links

imagens rasantes