Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Renovai-vos pela transformação espiritual da vossa inteligência e revesti-vos do homem novo (Ef 4, 23-24).

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

29
Mai18

Os deputados de rica vida e boa morte!


Fátima Pinheiro

velas 2.jpg

 

 As instituições têm uma dignidade inquestionável. Nem por um segundo duvido do nosso modelo democrático. Mas como tudo o que é humano há lapsos. No tabuleiro estão hoje diplomas que querem ser a lei da eutanásia, ou boa morte. Toca-se no cerne da vida humana: o sentido da vida ou a ausência dele.

O sofrimento vem no pacote da vida. Porquê? Ninguém sabe. O que sabemos é que as chaves da vida e da morte não estão nas mãos de ninguém. Só faltava os deputados agirem, votarem, como deuses. As leis humanas que violam a realidade são filhas de deuses menores.

A vida de um homem, diz o livro da Sabedoria, anda pelos 60, 70, no melhor dos casos pelos 80. "Vamos uns atrás dos outros", disse-me Eduardo Lourenço na missa do funeral de João Lobo Antunes.

Play god, é o pratinho do dia. Sim, gerir vidas e mortes o que é senão fazermos o que não é da competência dos homens?

A vida é um grande mistério! Assim o sofrimento e a morte. O que fazer? Tudo menos pretender ser sua dona. Ninguém é dono da vida. Por muito que queiramos uma rica vida e uma boa morte somos impotentes. A vulnerabilidade, quer o queiramos, quer não, é o que define a essência do humano . Foi isto mesmo que reconheceu recentemente o Papa Francisco que, como todos nós, somos filhos do Deus Maior, O que por nós morreu numa Cruz há cerca de 2000 anos. E não nos faltam hoje e  na História , homens e mulheres que,  com alegria, O imitaram até ao fim. As velas ardem até ao fim, lembram-se?

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
28
Mai18

O caldo entornado do bombeiro dos 267 €


Fátima Pinheiro

caldo.jpg

 

 

Foi notícia neste fim de Semana, Rui Rosinha, bombeiro de Castanheira de Pêra, ficou gravemente ferido num acidente quando acudia aos incêndios de 17 de junho do ano passado na zona de Pedrógão.  Recebe uma pensão de invalidez de 267 euros mensais, o equivalente a menos de metade (em rigor, 46%) do salário mínimo nacional. Como foi notícia o Congresso da família socialista.  O que tem uma coisa a ver com a outra? Tudo. Só espero que a televisão lhe invada a casa e lhe resolvam a injustiça.

Ontem, ao ligar a televisão quase ouvi o paraíso na terra. O resto do paraíso é nas proximas eleições. Mas está quase. Num golpe, não há corrupção, o PS não esteve no poder, nem nada. E o tapete a (não) funcionar, como lembrou Ana Gomes (bem vinda à SIC notícias. ) Pergunto: os bués de euros que uns ganham à custa dos esquemas da corrupção quantos bombeiros salvariam? A fome dos que têm fome hoje, não se mata com as sopas de amanhã, mas com as sopas de hoje.

Digam o que disserem, o caldo está entornado, e não é de hoje.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
28
Mai18

O caldo entornado do bombeiro dos 267 €


Fátima Pinheiro

caldo.jpg

 

 

Foi notícia neste fim de Semana, Rui Rosinha, bombeiro de Castanheira de Pêra, ficou gravemente ferido num acidente quando acudia aos incêndios de 17 de junho do ano passado na zona de Pedrógão.  Recebe uma pensão de invalidez de 267 euros mensais, o equivalente a menos de metade (em rigor, 46%) do salário mínimo nacional. Como foi notícia o Congresso da família socialista.  O que tem uma coisa a ver com a outra? Tudo. Só espero que a televisão lhe invada a casa e lhe resolvam a injustiça.

Ontem, ao ligar a televisão quase ouvi o paraíso na terra. O resto do paraíso é nas proximas eleições. Mas está quase. Num golpe, não há corrupção, o PS não esteve no poder, nem nada. E o tapete a (não) funcionar, como lembrou Ana Gomes (bem vinda à SIC notícias. Pergunto: os bués de euros que uns ganham à custa dos esquemas da corrupção quantos bombeiros salvariam? A fome dos que têm fome hoje, não se mata com as sopas de amanhã, mas com as sopas de hoje.

Digam o que disserem, o caldo está entornado, e não é de hoje.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
24
Mai18

Luís Osório: palavras para quê?


Fátima Pinheiro

Trinta.jpg

 a imagem não é a definitiva

 

Luis Osório está de volta para a entrevista pública. Isto sim uma boa notícia. Entre Alcochetes e Pinhos. É já na próxima terça-feira dia 29 de maio - dia em que eutanásia está no Parlamento - um ciclo de conversas públicas que certamente ficará na história . Um ciclo que terminará apenas em fevereiro de 2019, com entrevistas a 30 grandes portugueses – 15 homens e 15 mulheres, todas as terças-feiras, sempre a partir das 18 horas, no Hotel Porto Bay Liberdade (Rua Rosa Araújo 8). "O primeiro convidado será António Barreto, sem dúvida um dos mais influentes portugueses. Sociólogo, pensador, cronista, há muitos anos afastado da vida política, mas nem por isso menos ativo na sua intervenção cívica. Uma voz rigorosamente independente, muitas vezes incómoda, tantas vezes fatal para os alvos da sua crítica. " ( página de FB de Luîs Osório)

Luís Osório sabe muito bem arrancar das pessoas o que elas são, o que é muito bom. E raro. E neste Blog tenho muitos posts sobre o seu trabalho. Há entrevistadores que não saiem de si, do seu lugar de conforto. Ele não. Com uma profunda "sede" de pessoas, pergunta como ninguém. Maravilhoso, puro e duro. E para quê?, pergunto agora eu. A ver vamos. E se fosse eu a fazer, teria entrevistado 31 portugueses. Falta um para o fado ficar completo.

30 PORTUGUESES, UM PAÍS, foi o resultado de uma longa conversa entre o jornalista e Bernardo Trindade,  diretor do Porto Bay Liberdade, que lhe lançou o desafio. 

O ciclo tem a parceria do Banco Santander. E da editora Guerra e Paz que editará as 30 conversas em livro, talvez no final de 2019. 


 

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
22
Mai18

Eutanásia porque não, caramba!


Fátima Pinheiro

eutanasia.png

Senhor Deputado, Eutanásia quer dizer "bela , boa, morte". Em Portugal estamos na véspera de um debate parlamentar que poderá resultar na sua legalização. No dia 29 de Maio. Seriamos assim o sétimo país, no mundo, a ter uma lei destas. Mas que "avanço", que "pós,pós, modernidade", dizem uns ; "que crime", que retrocesso civilizacional, digo eu, diz Isilda Pegado. Presidente da Federação Portuguesa pela vida. O tema não se arruma num post num livro ou num sermão. Nem numa discussão aberta e democrática. Por outro lado, o tema até já está arrumado, e há muito.

É uma questão de bom senso. Mas,  claro, as razões são para se exibirem. Ça va de soi que a morte é algo sagrado, misterioso. Não se arruma de todo. Aguilhão que leva a questionar, a filosofar. E levou às primeiras expressões religiosas da humanidade. E levou e leva às filosofias, saber que está em desuso mas que muita falta faz.

A crença na imortalidade é tão poderosa que se impôs de si, dissociada da crença em Deus. O célebre "um filho, uma árvore, um , livro", diz tudo. Ninguém quer morrer de todo. Esperamos mais qualquer coisa.

A morte é desejada quando é insuportável viver. A lei daria a morte a quem a  pedisse nesses termos. Contudo, tocar no sagrado é crime porque se toca e altera radicalmente a vida, a qual o homem não sabe explicar. Quem "faz" a vida?

Não te mato porque não sei quem és.  Só sei que a vida, no seu grande  mistério, é mais que tu e eu. Transformamo-nos numa grande pergunta. Quem somos?

Oiço dizer que "Deus é Amor" (Primeira Carta de S.João  Deus é amor. Aquele que vive no amor vive unido com Deus, e Deus vive unido com ele. " -1 João 4.16. ). É verdade. O amor que experimento , não sou eu que O faço. Eu agradeço-Lhe. É esse amor que me faz dizer a quem me pede a morte: I stand by you.  Não te largo. 

Brincar à vida e à morte é a coutada das ideologias. Dar a vida é obra da Cruz de Cristo. Quem quizer que O siga. É duro e pesado. Mas é verdade. Como é verdade que é passagem para a Ressureição. Um assunto pessoal e intransmissível. 

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
21
Mai18

O que têm comum um casamento, um jogo e um cardeal?


Fátima Pinheiro

 

 

 

27459480_1728868527164567_11728636285199034_ntarte

 

Aparentemente nada. Contudo há uma coisa em comum. Mostram que o inesperado acontece, que a imponderabilidade é, afinal, um fator a ter em conta. Em Portugal, a que me refiro hoje, também.

Um jogo no qual um Clube  pequeno ganha ao historico Sporting, uma Taça  que faz vibrar Portugal. Um casamento que encheu de sangue negro uma Igreja de sangue inglês. Um bispo de um pequeno país como o nosso, que passa assim  a ter quatro cardeais. Desportivo das Aves, Megan e D.António Marto. E tudo no espaço de uma semana.

E haveria mais a referir. A Eutanásia e António Costa. Ineperadamente ficamos ontem a saber que o primeiro ministro, que tem criticado a especulação imobiliária, ele próprio entrou num negócio desse tipo .  E a eutanásia, porque vai ser discutida a eutanásia no Parlamento, com a hipótese que venha a ser permitida em Portugal, quando só o é em seis paises, que estão assim no top do atraso civilizacionalImporta lembrar que a sorte protege os audazes.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
18
Mai18

Uma pergunta a Fernando Medina


Fátima Pinheiro

 

bandeiras.jpg

 

 

 

 Pasmo com o que leio no site da Câmara Municipal de Lisboa :  que  para assinalar  o dia nacional e Internacional Contra a Homofobia e Transfobia  se hasteou ontem a bandeira da causa LGBTI+ e que o o hastear da bandeira é a marca visível para uma luta que faz sentido numa cidade que se quer solidária e inclusiva e que se pauta, cada vez mais, pela igualdade de direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo.

 

Então vamos lá ver. E se eu penso de maneira diferente?  Vai  o Presidente da Câmara hastear a minha bandeira?  Quantas bandeiras teria que percorrer! Isto não é assim. Os Paços não são um quintal. Nem as instituições coutadas.

Sei que este Presidente é um homem competente e muito simpático. Agora lamento este género de postura ditatorial de imposição de um credo disfarçado de tolerância. E a mim que penso diferente, quem me tolera? A bandeira ali só deve ser uma, e mais nenhuma.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
17
Mai18

O Aves que se recuse!


Fátima Pinheiro

 

luto.jpg

 

 

Portugal jardim à beira mal plantado assistiu a uma devassa sem memória. O leão à solta quiz mostar que é rei. E o jardim assiste impávido e sereno. Sim, assiste apenas! É que uma indignação não basta. Para grandes males grandes remédios. Os dois pesos e duas medidas é uma sacanagem. O fisco é tão célere a cobrar que custa, por outro lado, a justiça ser tão coxa. Segunda-feira resolve-se, oiço. Quê? Segunda é tarde, caramba!

De que estamos à espera? Que o Sporting ganhe a taça? Não se brinque. Não há condições para haver jogo. O Aves que se recuse. E hoje mais não digo. Estou de luto. Bruno de Carvalho continua à solta

 

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
16
Mai18

Bruno Carvalho conseguiu o que queria?


Fátima Pinheiro

Taça-de-Portugal-1.jpg

 

 

Chamar a atenção conseguiu. Bruno muito trabalhou para isso. Uma máquina montada. Um visionário. De facto,  não se fala noutra coisa. As  luzes estão todas a apontar para ele. Já ninguém se lembra da Eurovisão, de Costa, das operações Marquês e companhia (la vie en rose continua). Eutanásia no Parlamento, hein?

Bruno quer a Taça no Domingo. Vai ter? Não.

Não há adjectivos para o que aconteceu ontem  em Alcochete, e no festival televisivo que  tudo seguiu a par e passo. O Alto Pres falou por volta das 22. Que o crime faz parte da vida ( da vida dele, não tenho dúvidas), que foi uma chatice as famílias, as dos jogadores e a sua a telefonarem para saberem o que se estava a passar. Uma chatice! 

O presidente da Assembleia a dizer que é para esquecer até Domingo, e que no dia seguinte falamos. Percebo. A taça vem em primeiro e os meninos sabem o que vale. Tudo a apoiar e a ajudar ao título. Quanto mais me bates...

Não devia ser assim, nada justifica o crime de ontem. Se fosse eu, Bruno ia preso,  Jorge de Jesus vinha contar tudo, Rogério Alves falaria sem delicatesses. Mais, não haveria jogo nem taça. Ia tudo de castigo e os jogadores para recuperação. Taças há muitas. A do terror já  ninguém  a tira aos leões e a Portugal. Falta só a selfie de outro Alt Pres.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
15
Mai18

Jerusalém, a galinha e a embaixada


Fátima Pinheiro

emadeira.png

 Eduardo Madeira

Ando nestas  dos blogues há uns aninhos. A opinar. Não é preciso invocar Platão  para reconhecer que nem todas as opiniões valem o mesmo. A melhor opinião é aquela onde cabem mais razões. Quem tem razão, são os palestinanos ou Trump? Manuela Moura Guedes ou José Sócrates? A canção vencedora da Eurovisão é parecida com uma galinha a cacarejar como rabulou Eduardo Madeira?

Ai não interessa, e tal. Mas o que é verdade é que cada um de nós tem uma visão das coisas, mesmo que seja a visão de não ter visão nenhuma. 

Não se pode escapar. O homem tem mesmo uma centelha de luz, de inteligência. O homem tem mesmo a necessidade de se alimentar pela inteligência, e não só pelo estômago. Daí a raíz de "saber"  se prender à de "sabor". E nem tudo sabe ao mesmo. O espaço público mostra essa multiplicidade de visões. A paixão da vida passa pelo debitar aqui aquilo que se entende por ela, em todos os seus aspectos. Os de hoje e os de ontem. E o que se calcula para o futuro.

 O  argumentário é o prato forte. Não se trata de defender seja o que for. Defender uma opinião" é tão ridículo como o sol defender o seu "dar luz." É sim uma questão  de maioridade ou decência. Uma economia do tempo que não se esgota no andar aqui só para ver andar os outros. Umbigos? Sim , há muitos seu palerma. Tudo converge para Jerusalém.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

Pág. 1/3

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

Comentários recentes

  • Narciso Baeta

    A estupidez é uma cegueira do espírito: não mata, ...

  • Anónimo

    O futebol é um dos pratos principais do actual est...

  • Anónimo

    Esse cardeal, é do mais atrasado que a ICAR tem… a...

  • Anónimo

    Eu gostava era de ver o Marcelo "genuíno" a dar u...

  • Anónimo

    Gostaria de mais informações Recebi uma proposta d...

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D