Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

19.03.18

As embaixadas e os diplomatas


Fátima Pinheiro

 

10640991_799219680129461_2320686734157267130_n.jpg

 

 

Francisco Seixas da Costa pergunta se Portugal deve fechar as embaixadas. Que os diplomatas ganham muito, etc etc etc. Quem é diplomata responderá melhor que ninguém. Óbvio que não se devem fechar. O embaixador e ex- governante demonstra por a + b que não. Não tenho nada a acrescentar. Só duas coisas. Muita coisa teria então de ser fechada. E, aqui sim grave, muitos diplomatas deviam mudar de ramo. Não é qualquer um que sabe representar Portugal. Quem manda páre, escute e olhe.

Nunca vi profissão onde os critérios são tão relativistas como na carreira diplomática. Entendo que é precido establecer uma espécie de gramática diplomática onde se esclareça o que é representar Portugal. Como se pode pode representar algo  se se ignorar bom senso e bom gosto? E last, but not the least, é preciso saber, mas a diplomacia é uma arte. Conheço poucos. E conheço um em especial  a quem Portugal deve muito e a quem eu devo, em parte, três filhos. Graças a Deus é o nosso embaixador em Moscovo. O nosso homem na Rússia. Estamos bem entregues neste periodo difícil. Não ganha a mais e não mete dinheiro ao bolso. E fico por aqui.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

1 comentário

Comentar post