Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

31.12.17

É um livro ou um orgasmo?


Fátima Pinheiro

WIN_20171231_16_33_58_Pro.jpg 

 

A pergunta é feita fresquinha acerca de "A queda de um homem", que viu a luz do dia em Setembro. É, segundo o autor, Luís Osório, o seu primeiro romance. Então se deduz que entende que faz coisa nova em relação aos seus livros anteriores, e que tem a ideia de vir a fazer mais romances. Acabo de ler e escrevo a minha primeira impressão, e digo já que fico à espera de mais romances, embora neste caso o género seja indiferente. Pergunto então "É um livro ou um orgasmo?". Sim, diria o pai da fenomenologia.

Este livro é de quem tem paixão pela palavra. No Princípio era o "logos". Mas não se ficou nesse Princípio.  A Palavra continua e em estafeta é recebida por quem se deixa ao seu sabor.  E chega a mim. Não se lê de qualquer jeito. Livros como este são lidos de forma pessoal e intransmissível.

Qual é o tema do livro? Sou eu que, quando nele caí, me deixei ir. É uma voragem, um vulcão, um tango, muito choro, muita pergunta, muita promessa, positividade. Não interessa se é sonho, se vigíla, passado, presente ou futuro. É agora. Foste mesmo tu que escreveste? Somos nós,  sim. Também. E nada interessa senão a humanidade que nos esmaga e eleva. E quero lá saber quem é o poeta irlandês! Gosto é do poema! Não me digas que és também poeta! 

Um livro que é o escrever em ação, o eu em ação. Um roadsow de uma vida que são muitas ao mesmo tempo, onde tudo aparece casado e descasado, quente e frio. Uma foice e uma fonte onde nos perdermos e encontramos. E quem sou  eu para opinar?? quem? 

 

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).