Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

01
Jun15

Grande Rasante no Porto


Fátima Pinheiro

 Manoel de Oliveira e Rui Moreira/imagem tirada da net

 

A  Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) deu à Câmara Municipal do Porto (CMP), na semana passada, o galardão de Melhor Programação Cultural Autárquica 2014. "É o reconhecimento de que a estratégia de Rui Moreira estava certa", disse  Paulo Cunha e Silva. Ao Jornal de Notícias, o vereador da cultura declarou que a política cultural tem "o apoio incondicional de todo o Executivo e a vontade de participação da cidade". Que sortuda eu sou. Em boas mãos estarei quando na próxima 5ªfeira o meu livro "Rasante" (Chiado Editora, 2014), for apresentado pelo Presidente da Câmara, na Casa do Infante. E mais, porque tudo o que o escrevo, desde 2012 no meu primeiro blog, o 100mim - digo e repito -, o devo a Manoel de Oliveira; e é diante do Douro que toda esta faina se passa. Uma espécie de "Acto da Primavera". E estou à vontade, sinto-me em casa. Não há por aqui falsas humildades.

 

O que aconteceu pela mão da CML desde 2013: criação do Teatro Municipal do Porto (com a agregação do Rivoli e Campo Alegre), reabertura da Galeria da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, a Feira do Livro nos jardins do Palácio de Cristal, o lançamento do Fórum do Futuro (que este ano voltará a realizar-se), concertos, exposições (de que se destaca "You Love Me, You Love Me Not", da Fundação Sindika Dokolo), entre muitas outras. Ainda dizem que o Porto é escuro. Estou a puxar a brasa à minha sardinha? Pois estou. É uma honra para mim ser acolhida no Porto na quinta-feira. O Rasante é apenas um pretexto. Bom, mas pretexto. O que conta é o que não sei dizer. O que conta é aquilo que faz a arte.

 

Rasante? Foi Eduardo Lourenço que um dia me disse que o que passa por mim - por cada um de nós - assim se chama. Fogo que arde sem se ver. E nós consentimos. Ou não. Não é muito melhor dizer "sim"?

 

 

1 comentário

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Welcome back home...

  • Anónimo

    O AVC fez-te escrever ainda melhor! Welcome back!!

  • Fátima Pinheiro

    É mesmo!

  • pita

    Creio que será claro que Fátima, pelo que escreve,...

  • pita

    Um excelente (grande) filme. Tão marcado fiquei q...

Links

imagens rasantes

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D