Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

05
Mai15

Oliveira: o que me deu a ver, antes de eu morrer


Fátima Pinheiro

 imagem da net/ a casa onde morava

 

Genial. Estas coisas vêm do sangue. Génio é aquele  que é capaz de "fazer" o que eu quero, sem o conseguir fazer da forma como ele o faz. Ontem e hoje, estreia um filme feito há mais de trinta anos, era ele um jovem de 70 e qualquer coisa. Para que se visse depois da sua morte. Isto não cabe na "câmara" de ninguém.  Dado o entendimento que ele tem da vida, só pode ser providencial a  obra - que ainda não vi, mas gostei...- que hoje, com o olhar ajoelhado, vou viver. Visita ou Memória e Confissões é o nome do filme inédito realizado em 1982, e que decidiu só mostrar publicamente após a sua morte. Não largo Oliveira. Pois não. Quem quer quer, quem não quer, não quer. Eu? Jamais me habituarei a ele.  E terei outra surpresa, como tive há dias no Monumental?

 

Quem ama sabe com o que conta. Por isso sabe que mais recebe quem mais dá. E andamos aqui todos para ganhar a vida, ou não? Ai eu acho que sim. Quem quer morrer, ou quem se matou mais cedo, é em nome de uma exigência que deseja uma vida maior. Uma vida que não se satisfaz de nims, assim assins, mediocridades, cinismos, cretinices, mentiras, violências, adiares, porcaria ...  A morte é uma "sortie", uma "certitude", disse em Veneza na estreia de "O Estranho caso de Angélica". A nossa vida uma "incertitude". A nossa vida é Visita, Memórias, Confissões...

Estreia pública mundial, ontem, no Porto, no Teatro Rivoli. Hoje na Cinemateca. Está também confirmada a sua passagem no próximo Festival de Cinema de Cannes, na secção dedicada aos Clássicos.

 

Diz quem sabe, Jorge Leitão Ramos no Expresso,  que  "a grande expectativa é sempre má conselheira". Verdade. Sobretudo com calibres como o de Oliveira, para quem cinema e  vida coincidem. Mais diz o crítico de cinema, que este filme  "é um jogo de simulações, não de janelas, ou espaço de inconfidência tal como o melhor cinema de Oliveira - onde tudo é falso e do finjimento que não se oculta nascem revelações formidáveis." Até amanhã. Se Deus quiser.

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Welcome back home...

  • Anónimo

    O AVC fez-te escrever ainda melhor! Welcome back!!

  • Fátima Pinheiro

    É mesmo!

  • pita

    Creio que será claro que Fátima, pelo que escreve,...

  • pita

    Um excelente (grande) filme. Tão marcado fiquei q...

Links

imagens rasantes

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D