Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Renovai-vos pela transformação espiritual da vossa inteligência e revesti-vos do homem novo (Ef 4, 23-24).

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

04
Out15

Outro Palhaço


Fátima Pinheiro

Pasolini, numa imagem tirada da net

Ti ride negli occhi la stranezza di un cielo che non è il tuo

(Cesare Pavese)

 

A propósito das eleições e porque abre-se hoje aqui um espaço novo, muito íntimo, segredo que quero um palhaço, a toda a hora, em cada coisa, em casa terra, em cada casa, em cada céu. Palhaçadas é que não.

Como o de Kierkegaard, o do palhaço que, vendo o circo a arder, corre à vila a avisar da iminente chegada, destruidora. Ninguém acredita! Não é ele o palhaço?

Rimo-nos, rimo-nos. E fazêmo-lo cada vez mail alto porque o seu grito é cada vez mais verdadeiro. Os seus olhos espelham a estranheza de uma verdade que não é dele, diria Pavese. A Itália tem tanta coisa boa! Hoje celebra-se o dia do seu patrono,  S.Francisco de Assis.

  

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
03
Jun15

Herberto, Herberto: eu cá faço a barba...


Fátima Pinheiro

 

 gostos não se discutem/imagem tirada da net

 

O poeta recentemente falecido diz assim: "que interessa fazer a barba, se é tudo para cremar (Herberto Helder, Poemas Canhotos, Porto editora, 2015. p.16). O mesmo é dizer : que interessa viver, se é para morrer? Esta obra póstuma é de uma carga metafísica ou filosófica mais explícita que noutros livros de Herberto Helder. Mas não se entende aqui metafísica como uma coisa distante, que é o que por ela erradamente se entende, a maior parte das vezes. Antes pelo contrário, é bem concreto. O poeta trata de si , de mim, do "eu". Duma forma principalmente filosófica. A páginas tantas : "em boa verdade houve um tempo em que tive uma ou duas artes poéticas, agora não tenho nada" (p.18). A filosofia é uma espécie de nada, um não saber que questiona o quotidiano e pergunta "quem sou eu?". A Metafísica é um peixe de águas profundas, "a realidade." (p.13)

 

Mais metafísico significa aqui mais metido consigo, com o seu "eu". Com a natureza humana  (Ramos Rosa:"ele sou eu "(p.39). O poeta desdobra aqui neste livro um lençol exposto a dobras, pondo as perguntas preto no branco; assim como um pobre a mendigar sentido: "ó mundo, deixa-te entender um pouco/ desde nascer a morrer que não entendo nada..."(p.16). Ou assim: " tudo tão prodigioso que se não entende nada." A pobreza deste senhor de barba é a exposição de uma ferida, "no meio da escuridão" (p.43), na beleza de um perguntar que tem a sua marca. Reconhecer que o cremar não é tudo, é assim o testemunhar de um excesso que escapa e o faz acordar, cada dia, numa precariedade que vale a sua pena. No seu caso uma precariedade cortada em milhares de versos e poemas. Mas porquê Canhotos?

 

Eu que sou destra, não consigo fazer nada com a mão esquerda. Então posso calcular que ele assim os baptiza por serem versos impotentes, onde não cabe o que realmente me implica. Contudo, são esses mesmos versos que podem um "dizer" ensanguentado de sentido. Que nele é mesmo muito carnalmente sentido. Voraz. Doce. Escondido e gritante. Só a ele se chega "quando se mete a mão e se vê que a mão é muito mais suprema." (p.24) Esquerda ou direita? Pouco importa, já que vale a pena, este "mundo das mães loucas" (p.29): "ninguém transforma assim numa chaga a beleza humana." (p.20),  "oh faminta ciência da paciência" (p.21).

 

Poemas Canhotos de Herberto Helder

 
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 56
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04753-3
Idioma: Português
Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
28
Out14

Eu não me levo muito a sério


Fátima Pinheiro

 

 

   SergioCerchi/imagem do quadro tirada da net

 

Agustina Bessa- Luis, é a melhor de todas. António Lobo Antunes, o melhor. Olho hoje para ela, que há pouco fez anos. São poucos os que se aventuram nos seus voos metafísicos que, por o serem verdadeiramente, têm os pés bem assentes na terra. Cada página sua é um número incontável de diamantes que exigem lapidação. Desafia-me neste instante. Simples. Mas dá trabalho, ascese. A vida fala sempre mais forte. Por isso, não me levo muito a sério. Agora é que percebi : "Eu não me levo muito a sério. É a melhor maneira de viver. Aquele que se leva a sério está sempre numa situação de inferioridade perante a vida." (Agustina Bessa- Luis)

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

Comentários recentes

  • Narciso Baeta

    A estupidez é uma cegueira do espírito: não mata, ...

  • Anónimo

    O futebol é um dos pratos principais do actual est...

  • Anónimo

    Esse cardeal, é do mais atrasado que a ICAR tem… a...

  • Anónimo

    Eu gostava era de ver o Marcelo "genuíno" a dar u...

  • Anónimo

    Gostaria de mais informações Recebi uma proposta d...

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D