Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

15.09.15

O debate Passos-Costa: será preciso despi-los?


Fátima Pinheiro

imagem tirada da net

 

5ª feira é o debate nas Rádios, temos dois ouvidos, pode ser que se perceba melhor. Mas regresso ao da Televisão.

Era o frente a frente decisivo entre Passos e Costa. Em direto. Ambos "perderam", e mais os três jornalistas (saudades cá de umas boas perguntas que não vão atrás nem do que vende, nem do que não é essencial, neste caso na política; e esta coisa moderna do tempo, segundo minuto a minuto que cada um rouba ao outro; como se isto fosse ao metro; se se contasse o tempo que eles perdem a contar o que se pode contar....não contem comigo para isto). Perdemos todos. Todos, todos, menos o da Joana. Realmente o Rei vai nu (o poder é por natureza monárquico, absoluto). Eu explico.

Não sou maquiavélica, mas os argumentos que Joana apresenta para aparecer nua e de barriga com o pai do filho que é deles (ele também se podia ter posto um pouco mais exposto, mas isso agora não interessa), em nada compromentem o que penso de meios e fins. Há pontos que sublinham o que anda esquecido, ao arrepio do que parece feio fazer-se. E que mal tem o corpo, que não possa estar numa capa? Digo de outra maneira: sou mais da matéria informada, do que de formalismos. Numa palavra: o essencial anda esquecido. É este o ponto daquela mulher cuja política só lhe pode estar colada à pele. Quem pense que as coisas se dividem de forma absoluta, engana-se. As divisões tem uma dimensão formal, como dizer "trabalho é trabalho, conhaque é conhaque".  E é bom que assim seja.

 Voltando à TV, estavam afinal todos nus, vestidos às cores e panejamentos da ocasião. Quem dos dois ou quem dos jornalistas perguntou ou levantou o nível? As perguntas? A política? Cultura? Europa?  (e os refugiados?...) Economia?Defesa? Social? Educação. Apenas uma pitada de segurança social e de saúde. Passos podia muito bem não se limitar a estar à  defesa, pois tinha razões, factos e pano para mangas. Costa dirigiu o andamento ao som de uma demagogia irónica, esperta e mentirosa (a demagogia é; ele? não entro em intenções, só sei que uma coisa é a mentira, outra o mentiroso, etc.). Como se não pertencesse ao mesmo partido daquele que foi o centro das atenções - mais uma vez - e que deixou o país como sabemos: Sócrates.

O debate foi um exame à governação, mas com espingarda de curto calibre. Um programa de jovens e mais não sei quê que falhou? Aqui calo-me, porque falar de jovens faz-me arrepios. Passos permaneceu na resposta ao rasteiro ataque e não soube ser o que é. Mesmo assim, e de certo modo, ele ganha.Sob fogo durante quase duas horas, sem que se reconhecesse a mínima coisa boa em quatro anos de governação, soube não fugir, procurou responder ao que era perguntado, e reconhecer aquilo em que errou. Querem que faça um bom boneco ou que o dispa em direto?

Quem deixou o País neste estado? Não, não é preciso ir a Adão e Eva. Paro no Largo do Rato e é quanto basta.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

26.10.14

A filha de Adriano Amoreira passou-se


Fátima Pinheiro

    imagem/net

 

Afronta é ter memória curta, meta isto na sua cabeça, minha senhora, se é que a tem. Vem isto a propósito desta opinião de Isabel Moreira : http://expresso.sapo.pt/meta-isto-na-sua-cabecinha-senhor-deputado=f895221  

 

Mas como escreve bem..., a ilustre democrata,...lembra-me um Engenheiro técnico que tinha um look Armani que ainda hoje aparece banhado em oiro, e de outro, seu familiar, que dizia "é a vida" e se baralhava com o PIB.

 

Podia alongar-me, mas não vale a pena. Gosto de afrontas, mas hoje é dia de descanso.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).