Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Renovai-vos pela transformação espiritual da vossa inteligência e revesti-vos do homem novo (Ef 4, 23-24).

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

Rasante

De tudo um pouco. Cada manhã. Ao sair da pena, bem cedinho. Tudo me interessa.

16
Mar18

O que é que tens feito?


Fátima Pinheiro

18672848_1488844731166949_4247179865837059225_o.jp

 

Que raio de pergunta!! Eu sei que muitas vezes não sabemos o que dizer uns aos outros. Mas para quê insistir em conversa mole? É uma espécie de matar o tempo. Mas matá-lo para quê? Que tal viver ? Com silêncios, diálogos e monólogos sem e com palavras?

Contemplar o que tenho mesmo de baixo do nariz. Procurar caminho na selva. Mudar para mais. Recomeçar. Não ter a pressa do fim de semana.

Em cada pedra da calçada há uma surpresa, uma luz, um cheiro. Que faço ds meus pulmões? E dos meus sentidos? Páro e lembro-me dos cegos, dos paralíticos. Fazem parte do meu mundo.

Seja qual for o meu Plano de vida, tem que incluir. A inclusão está na moda. Não devia. A inclusão é uma evidência a realizar.   O que é que faço? O que tenho feito? Esta pergunta está agora colorida. Cada dia conta. Cada respiro. Mudar está ao alcance de quem o deseja. Há sempre uma ponta por onde se pegue.

Mudar numa guinada feita com o melhor carro. Todos sabemos qual é. Arregaço as mangas e vou ser livre para mais vida.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
03
Jan16

Hoje só me apetece dançar, amanhã penso...


Fátima Pinheiro

 

 

 imagem da net

 

"Todos os dias o mesmo caminho, os mesmos sacos pesados, a mesma dolência no caminhar, uma tristeza funda que a faz mais velha. Os mesmos horários, o mesmo lugar no autocarro. Levanta-se na mesma esquina, antes do Campo Pequeno. Toca no mesmo botão no instante em que se levanta. Ontem, hesitou. Deixou passar a esquina, não carregou no botão, levantou-se quase no último momento. Senti que era o dia em que podia ter mudado a sua vida, o dia em que caminharia à procura de um novo destino, o dia em que sairia numa estação diferente, num outro Campo Pequeno capaz de lhe trazer novos lugares, novas esquinas e novas tristezas que matassem esta que a faz mais velha do que parece. Ou então estava apenas distraída." Luis Osório

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
12
Dez15

Misericórdia há, o pior é o resto.


Fátima Pinheiro

Regresso do Filho Pródigo (detalhe), Hermitage

 Regresso do Filho Pródigo (detalhe), Hermitage /  Rembrandt

 

Quando dei aulas em S. Petersburgo, passei horas no Museu Hermitage, a olhar para esta obra de Rembrandt . Começou uma mudança. Foi um pontapé para que eu deixasse de me "esbanjar". A questão não está em que o pródigo gaste a fortuna. O principal é que ele, eu, me tinha esbanjado. Descuidado a minha pessoa. Como? É simples. E acontece sem que se dê por isso.

Era mais a pintura a olhar para mim do que eu a olhar para ela. Eu, caladinha mais que um minuto? Muito difícil. Ali não. A imponência do Belo ainda hoje me abraça, como uma Pessoa. O quadro é de um tamanho tal e está tão bem situado (em arte, os russos tem quase todos os trunfos...) que eu era mergulhada nele, misturava-me e perdia-me. E por sorte as mãos de Rembrandt pintam na luz que eu prefiro. E por sorte cabia no tamanho dos protagonistas.

Protegida do frio e da neve a fazerem de pedra os canais da Veneza imperial, e no calor das cores de uma obra única, fui o Pai, o filho mais novo, o mais velho, os que estão atrás, e aquele que dizem poder ser o próprio Rembrandt. Às vezes não era ninguém. Era a tela, uma mancha, um resto do pincel; e recomecei a ser repintada, retocada e a perceber o que era afinal a obra aberta, meu querido Husserl (Eco e Gadamer vieram muito depois; mas nós, Edmundo, não somos de modas...). Outros horizontes.

Tenho vindo a perceber, e ontem em especial, que o que quero é ser como o Pai, que se esbanja em Amor. Com duas mãos - fizeram-me notar que uma é pintada de masculino e a outra de feminino - a perder, sem nada excluir. Porquê? Porque tenho experimentado que o que me realiza é dar. É assim que se recebe. Sim, porque o que quero é receber. Por acaso nasci ontem?

É simples esquecer tudo isto: o que quero, quem quero, e por aí. Porquê? Porque penso que sou eu que faço o Amor. Muito enganada! É Ele que me faz.

Eu sou um belo traço nas mão de Rembrandt. É por por isso que posso ter a pretensão de querer ser como Ele. Não tenho pinta, mas tenho. Lindo paradoxo!  Misericórdia há. Se eu quiser, se pedir e se aceitar! 

 

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).
28
Fev15

Religiões? Passo.


Fátima Pinheiro

 Coimbra, ontem por volta das 14h/ TM do Rasante

 

As religiões têm pontos em comum e pontos em que se distinguem radicalmente. Em geral todas têm períodos de retiro, de paragem das rotinas. Tempo para tomar a vida nas mãos. Falo hoje da religião católica, e mesmo dentro desta há muitas formas de os “passar”. Há quem vá por moralismo, ou para fugir da vida, ou para ser “bonzinho”, sei lá, cada um terá uma razão para esse “passo”. Eu como faço?

 

Vou hoje a um retiro e sei que todas razões para o fazer – que acima referi - podem ser minhas também. E muitas vezes são. Mas sei que o que quero é dar este “passa tempo” para ser mais “eu”, mais livre; para que as rotinas sejam cada vez uma novidade, para me casar com a vida, para ser uma e una com cada respiro, meu e dos outros. Quero ir para ser cada vez menos “boazinha”: chamar cada coisa pelo seu nome, sorrindo ou não, mas a partir de dentro, e não com uma cara de plástico, descartável e fungível. Se isso não acontecer, paciência! Desisitir? Nem pensar.

 

Como diz a nossa Agustina: eu não me levo muito a sério, a vida acaba por vencer. Entenda-se bem: não se trata de uma falta de seriedade diante da vida, dos outros, de mim. É perceber e viver na certeza de que todos os nossos “cabelos estão contados”; e quanto a isso, cito a Bíblia e saio agora para o retiro. Não quero chegar atrasada. Para uma Quaresma em grande! Um “recuo” para um passo livre. Para um gosto de vida nova. Vou, por isso, descalça. Não sem antes beber a minha "italina" de eleição.

 

Lucas  

12, 6 -7

Não se costuma vender cinco pardais por duas pequenas moedas? Entretanto, nenhum deles deixa de receber o cuidado de Deus./ 7 Portanto, até os fios de cabelo da vossa cabeça estão todos contados. Não temais! Valeis muito mais do que milhares de pardais.

 

Mateus

6,26
Contemplai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem armazenam em celeiros; contudo, vosso Pai celestial as sustenta. Não tendes vós muito mais valor do que as aves? 

Mateus
10, 30

E quanto aos muitos cabelos da vossa cabeça? Estão todos contados. 

Lucas
21,18

Contudo, não se perderá um único fio de cabelo da vossa cabeça. 

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

Comentários recentes

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D